sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Apresentada quadrilha que cometeu assaltos nas agências dos Correios de Santa Inês, Monção, Pio XII e Anajatuba


Trio preso em Mossoró (RN) foi apresentado nesta segunda-feira
Foi apresentado, na tarde de segunda-feira (21), pelo secretário de Segurança Pública, Aluisio Mendes, um trio envolvido em assaltos a agências dos Correios de várias cidades do Maranhão e Piauí e na morte do policial militar Osvaldo Sousa Viana, atingido na cabeça e na cintura durante o assalto a agência dos Correios da cidade de Vitorino Freire, fato ocorrido no dia 7 passado.
Um dos detidos Peterson Robson de Araújo, conhecido “Mossoró”, de 26 anos, é apontando como líder do grupo. Na lista criminal consta, também, a suspeita de um duplo homicídio, ocorrido em agosto em Timon e, ainda, a participação na explosão do caixa eletrônico em Alto Alegre do Maranhão. Inclusive Peterson Robson teria sido reconhecido por  duas vítimas do assalto ocorrido contra agência dos Correios de Santa Inês.
Além de Peterson de Araújo, preso na última sexta-feira (18), em sua cidade natal Mossoró, no Rio Grande do Norte, foram detidos, também, Erivaldo Santos Sousa, 30 anos, conhecido como “Val”; e Arthur José de Oliveira Filho, 39 anos, o “Johnny”, que, também, são apontados por envolvimento em vários crimes no estado. Participaram das investigações e da prisão, equipes das superintendências de Polícia Civil do Interior (SPCI), Estadual de Investigações Criminais (Seic) e da 16ª Delegacia Regional de Bacabal.
“Não deixaremos que nenhum crime, fique impune”, garantiu o secretário de Segurança. Mendes afirmou, ainda, que o criminoso é de alta periculosidade e já confessou ter cometidos assaltos as agências de Santa Inês, Monção, Pio XII e Anajatuba também, em agosto desse ano. Com a prisão do suspeito, vários outros crimes serão apurados pela polícia. Eles são suspeitos, ainda, de terem praticado um assalto a Loja Ousadia Fashion da Rua Grande (Centro).
Levantamentos
Conforme o delegado Carlos Alessandro Assis, titular da 16º Delegacia Regional de Bacabal, que coordenou a operação, no momento da prisão, Arthur José se identificou como Reginaldo Carvalho Salgueiro, mas após as investigações, a polícia conseguiu identificar o nome verdadeiro do criminoso. Ele é foragido do Complexo de Pedrinhas.
O delegado Jair de Lima Paiva, superintendente de Polícia Civil do Interior, informou que após a localização do paradeiro do foragido, os investigadores da Polícia Civil do Maranhão com o apoio de policiais do Rio Grande do Norte deflagraram a operação. Ele disse ainda que foram três alvos deflagrados durante a ação, todos  em casas de um bairro de classe média alta na cidade de Mossoró.
Com eles foram apreendidos, ainda, cinco armas, sendo duas pistolas PT 40, sendo uma do Grupo Tático Aéreo (GTA) e outra da Polícia Civil; um fuzil 556, uma pistola calibre 380, uma escopeta calibre 12 e ainda um veículo Corolla preto, que é de propriedade do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA), um Golf cor prata, além de vários celulares, a quantia de R$ 2 mil em dinheiro, uma farda dos Correios, que segundo a polícia, era utilizada para entrar nos estabelecimentos sem levantar suspeitas. Várias placas de carros clonadas também foram apreendidas em poder dos criminosos.
Após a prisão “Mossoró”, “Val” e “Johnny” foram levados para a Delegacia de Homicídios de Mossoró. Eles foram autuados pelos crimes de posse ilegal de arma de uso restrito e formação de quadrilha.
“A Polícia Civil está, hoje, dotada do que há de mais moderno em tecnologia. O intuito é justamente localizar estes criminosos em qualquer parte do Brasil. Além disso, estamos periodicamente treinando nossos delegados e policiais para atuarem em investigações de alta complexidade”, comentou a delegada geral, Maria Cristina Resende.
Durante a coletiva, o secretário Aluisio Mendes lembrou aos cidadãos que já foram vítimas do trio que procurem as superintendências de Polícia Civil do Interior (SPCI), na sede da Secretaria de Segurança, na Vila Palmeira e a Estadual de Investigações Criminais (Seic), no bairro de Fátima para que façam o reconhecimento formal dos criminosos.
Presentes ainda o secretário-adjunto de Inteligência e Assuntos Estratégicos, Laercio Costa; os delegados Augusto Barros e José Nilton de Sousa,  superintendente Estadual de Investigações Criminais e delegado adjunto da SPCI, respectivamente.
Quadrilha utilizava fardamento nos assaltos aos Correios

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

O "MELHOR" PREFEITO DE PIO XII, TEM SUAS CONTAS REPROVADAS PELO TCE E TERÁ QUE DEVOLVER MAIS DE 140 MIL AOS COFRES PUBLICO

São Luis (MA) - Na sessão desta quarta-feira (2), o Tribunal  julgou irregulares as prestações de contas dos ex-prefeitos Luiz Osmani Pimentel de Macedo (Lago da Pedra), Raimundo Rodrigues Batalha (Pio XII), José Costa Soares Filho (Igarapé do Meio), João Menezes de Souza (Arame), Coriolano Coelho de Almeida (São Bernardo) e Eliomar de Sousa Nogueira – este último exercendo novamente o cargo de prefeito de Fortaleza dos Nogueiras.
Luiz Osmani teve julgadas irregulares as prestações de contas do seu governo referentes à Administração Direta, Fundo Municipal de Saúde e Fundo Municipal de Assistência Social, todas do exercício financeiro de 2007. Ele foi condenado ao pagamento de multas que, juntas, somam o valor de R$ 20 mil e débito de R$ 79 mil.
Raimundo Rodrigues Batalha teve julgadas irregulares as prestações de contas, do ano de 2010, referentes à Administração Direta, Fundo Municipal de Saúde, FUNDEB e Fundo Municipal de Assistência Social. Ele foi condenado ao pagamento de multas que, juntas, perfazem a quantia de R$ 146 mil e débito de R$ 68 mil.
Já José Costa Soares Filho teve julgadas irregulares suas prestações do ano de 2009 referentes ao Governo, Fundo Municipal de Saúde, Fundo Municipal de Assistência Social e FUNDEB. Ele terá que pagar multas que, juntas, somam o valor de R$ 175 mil e débito de R$ 4 mil.
João Menezes de Souza teve julgadas irregulares as prestações de contas do exercício financeiro de 2010, referentes ao Governo, FUNDEB, Fundo Municipal de Saúde e Fundo Municipal de Assistência Social. O ex-prefeito foi condenado ao pagamento de multas que somam o valor de R$ 152 mil.
Coriolano Almeida teve julgadas irregulares as prestações de contas, do exercício financeiro de 2007, da Administração Direta, Fundo Municipal de Saúde, FUNDEB e Fundo Municipal de Assistência Social. Ele foi condenado a devolver aos cofres públicos R$ 240 mil, além do pagamento de multas que, juntas, somam R$ 106 mil.
Eliomar Nogueira teve julgadas irregulares às prestações de contas do exercício financeiro de 2008 e referentes ao Governo e FUNDEB. Ele terá que pagar multa no valor de R$ 12.800 e débito de R$ 61 mil.